Renda passiva e renda ativa: verdades e mentiras

Share:
Assim como você, cresci vendo meu pai sair de casa todos os dias para o trabalho e por isto, durante um bom tempo, eu tinha em mente que a renda de qualquer um se resumia apenas ao salário.



É fato que para a maioria das famílias o emprego é a principal fonte de sustento e para algumas esta renda não cobre as despesas mínimas necessárias à saúde, segurança, transporte e educação. Devido a isto, é iminente a necessidade de complementar os proventos da família com uma renda extra.

Algumas fontes de renda extras muito comuns que eu tenho visto são:
  • Um segundo emprego. 
  • O “bico” de final de semana 
  • O quartinho dos fundos para alugar. 
  • Venda porta a porta. 
  • Aulas particulares e reforço. 
  • Dinheiro emprestado a juros (alguns chegam a fazer agiotagem, atividade que simplesmente abomino). 
Eu dava muitas aulas de reforço durante minha época de faculdade, afinal, tinha algumas necessidades que deveriam ser atendidas como lazer, ajuda em casa, aquisição de livros e etc..

E você, caro leitor, tem ou já teve necessidade de desenvolver uma fonte de renda extra para atender a alguma demanda?


Neste artigo iremos discutir o que seja renda e a importância desta para que consigamos atingir a liberdade financeira e uma vida equilibrada.

Nossa discussão será distribuída nos seguintes tópicos:


Fique a vontade para tecer seus comentários concordando ou discordando das minhas opiniões, aqui é um espaço livre.

Sigamos em frente.


O que é renda?

Podemos definir renda e fonte de renda da seguinte maneira:
  • Renda: é o total das importâncias recebidas periodicamente, por pessoa física ou jurídica, como remuneração de um trabalho, prestação de serviço ou investimento. 
  • Fonte de renda: é a atividade ou investimento que gera a renda. 
A renda pode ser classificada como fixa, variável e vitalícia.

Qual a característica de cada uma?
  • Renda fixa: não sofre alterações nos diversos períodos e é paga em intervalos pré-definidos (CDB, CDI, etc.). 
  • Renda variável: pode sofrer alterações dependendo das circunstâncias (bolsa de valores, etc.). 
  • Renda vitalícia: rendimento mensal para o resto da vida, para benefício próprio ou para terceiros. (PGBL, VGBL, etc.). 
De acordo com o nosso esforço para gerar a renda, esta pode ser subdividida em:
  • Renda ativa – conhecida também como renda linear 
  • Renda passiva – também chamada de renda residual 
Se estamos na caminhada rumo à independência financeira, é de fundamental importância que adquiramos um bom entendimento do que seja renda passiva e renda ativa.

Vamos discutir esses conceitos nos tópicos a seguir:



Renda ativa: o início da jornada em direção à liberdade financeira

Renda ativa é a renda recebida em troca do tempo que vendemos para a execução de algum trabalho. Percebe-se que o rendimento depende diretamente do quanto trabalhamos.

Para um melhor entendimento do conceito, cito alguns exemplos de renda ativa:
  • Salários, 
  • Comissões, 
  • Honorários, 
  • Adicionais, 
  • Direitos trabalhistas 
Os trabalhadores autônomos, embora tenham mais liberdade para determinar o tempo e o horário para suas atividades, estão vendendo a capacidade de produzirem, o que também é uma maneira de obter renda ativa.

Empresários que participam ativamente no dia a dia de sua empresa também estão gerando renda ativa em troca de sua capacidade de gerenciar a empresa.

Podemos perceber que, ao longo da vida, usualmente a maior parte dos recursos gerados por uma pessoa podem ser enquadrados na categoria de renda ativa.

Porém, depender exclusivamente da renda ativa para o sustento pode ser perigoso por uma série de motivos, os principais são:
  • Falta de regularidade: não poder comparecer ao local de trabalho, por qualquer motivo, pode acarretar uma perda parcial da renda. 
  • Empregos não são vitalícios: quando não se tem mais o emprego a renda é cortada. 
É muito cristalino que a renda gerada pelo emprego não garante liberdade financeira, mas devido a algumas características que veremos á frente, é muito importante cultivá-la, pois, ela é o início de tudo.

Para ficar bem entendida a relação entre emprego e liberdade financeira, recomendo fortemente que você faça a leitura do artigo “Como ficar rico sendo empregado: o segredo revelado”.



Renda passiva: a chave para a liberdade financeira

É indiscutível que criar fontes de renda passiva deve ser um dos grandes objetivos de todos nós, trabalhadores com carteira assinada, autônomos, empreendedores e também dos investidores.

Afinal, o que é renda passiva? E por que ela é tão importante?

Renda passiva, também conhecida como renda residual, é o dinheiro que você recebe mesmo sem investir grande parte ou a totalidade do seu tempo.

Algumas expressões são repetidas incansavelmente por educadores financeiros enaltecendo a renda passiva, vamos a elas.

Ganhar dinheiro enquanto dorme - Não criemos a ilusão de que basta fazermos algum investimento e cruzarmos os braços. Na verdade há muito trabalho para se construir um sólido patrimônio capaz de gerar renda que nos sustente durante um bom tempo.

É preciso que dispensemos um considerável esforço no início para que o investimento gere uma boa renda passiva no futuro.

Deixe o dinheiro trabalhar para você - Isto é ótimo, mas antes de tudo temos que obtê-lo. Muito óbvio, porém, nada fácil.

Temos que manter o dinheiro "na linha" ou correremos o risco de acordarmos sem nada ou o dinheiro começar a ficar com preguiça e trabalhar pouco.

Obter dinheiro para investir não significa somente trabalhar, mas ganhar mais do que se gasta. Isto com certeza demandam mudanças de hábitos, mais uma prova de que o caminho da independência financeira não é fácil, acredite.

Quem não tem ao menos um péssimo hábito de consumo ou pior, não conhece alguns ralos por onde sorrateiramente escoa parte do dinheiro que poderia ser investido?

No blog Investidor Inglês, o artigo “7 dicas para você conseguir economizar mesmo ganhando pouco” o autor apresenta algumas ações simples para se economizar e estancar alguns vazamentos que muitas vezes não percebemos ou não damos a devida importância por anos a fio.

Não são raras as vezes que nos deparamos com a necessidade de alguma mudança de hábito para que nos fins dos meses sobre dinheiro para se poupar ou quiçá pagar dívidas.

Essas mudanças podem implicar em abdicar de alguns prazeres no presente, rever o orçamento doméstico e cortar supérfluos.

Nossa, que dor de cabeça!

Para sobrar algum dim dim no final do mês sempre se fala em cortar, cortar e cortar.

Mas que tal achar que isto é um sacrifício momentâneo para que no futuro possamos falar em aumentar, aumentar e aumentar.

Aumentar a renda com o investimento feito em educação, eliminação ou reduções  de dívidas, valorização de algum patrimônio, etc..

O segredo é manter o hábito de gastar menos do que se ganha.

Eu prefiro dizer que o segredo é ganhar mais do que se gasta, isto nos força a pensar em criar fontes que possam gerar renda passiva e não somente cortar, cortar e cortar.

Sem sombra de dúvida trilhar o caminho para a liberdade financeira não é para todos. Poucos estão dispostos a seguir esta receitinha por um longo período.

Mas companheiro, vamos frente e nada de desânimo.



Fontes geradoras de renda passiva

Para se criar fontes geradoras de renda passiva, inicialmente são necessárias aplicações de dinheiro. Dependendo do tamanho dos aportes, estas fontes podem ser classificadas em:
  • Fontes dependentes de capital inicial: para se desenvolverem dependem inicialmente de um capital expressivo. Exemplos destas fontes são imóveis, investimentos tradicionais, franquia, etc.. 
  • Fontes independentes de capital inicial: para se desenvolverem é necessário um capital pequeno. Exemplo destas fontes são sites, direitos autorais, etc.. 
As fontes geradoras de renda passiva possuem características únicas que não devem ser negligenciadas. Uma vida equilibrada não tem preço, portanto não sigamos modismos. As fontes geradoras de renda passiva devem estar em sintonia com nosso estilo de vida e nosso perfil de investidor.

A seguir darei uma lista de algumas fontes de renda passivas comumente utilizadas, quem sabe algumas possam te inspirar?


1 - Investimento financeiro

Com as diferentes aplicações disponíveis, podemos dedicar apenas algumas horas por semana ou por mês para obtermos rendimentos interessantes.

Alguns investimentos comuns são:
  • Tesouro direto 
  • Fundos imobiliários 
  • Mercado de ações 


2 - Imóveis

O aluguel é uma opção corriqueira para nós que buscamos a criação de renda passiva. Pense quais propriedades você não usa e que pode fazer renda de aluguel:
  • A casa na praia 
  • Um segundo imóvel desocupado 
  • O quarto dos fundos da sua casa que está desocupado, 
  • A garagem que se transforma num bom ponto de comércio. 


3 - Negócio próprio

Ao empreender, investiremos um grande esforço (tempo e dinheiro) na criação e desenvolvimento da empresa. Depois, poderemos deixar o negócio a cargo de um gerente e tornar os lucros uma renda passiva.
  • Abrir um comércio como salão de beleza, loja de roupas, supermercado. 
  • Contratar uma franquia, contratando um gerente e receber os lucros. 


4 - Aplicativos

O mercado de aplicativos para celulares tem crescido exponencialmente. Caso tenha afinidade para criação de aplicativos você pode criar e vendê-los nas plataformas de IPhone e Android.


5 - Fontes de direitos autorais

O direito autoral é uma forma clássica de renda passiva, uma vez que continua a gerar dividendos ao criador da obra (livro, música, etc..) mesmo que esse não esteja empregando mais esforços para criação.


Esta lista pode ser alongada, basta ter um pouco de imaginação:

  • Vending Machines: Quem nunca entrou em um supermercado com as crianças e foi obrigado a depositar um real nestas máquinas para que esta cuspa um bonequinho do Pokémon?
  • Espaço para anúncio no carro particular: se você utiliza muito o carro e não se importa em sair por aí com uma propaganda alheia estampada nas portas ou no vidro traseiro, está aí uma boa fonte.
  • Espaço do muro para anunciantes: se a sua rua é bem movimentada e algum comerciante local desejar anunciar em seu espaço, está ai uma boa fonte de renda.

Você tem alguma idéia de fontes inusitadas de rendas passiva? Fiquei curioso.



Algumas pedras no caminho de quem procura a liberdade financeira

Eu já ouvi dizer que ficar rico é uma questão de escolha, mas é bom complementar que o caminho é extremamente árido, principalmente para nós, que vivemos de holerite em holerite. É necessária uma força de vontade hercúlea e inabalável para se conquistar a liberdade financeira.

Amigo leitor, que fique muito transparente que sempre me refiro à  verdadeira liberdade financeira e não a algo meia boca.

Um cenário no qual a renda passiva seja igual ao salário não te deixa a opção de mandar o chefe, com todo o respeito, para o quinto dos infernos. A opção de jogar tudo para o alto e ir tranquilamente embora para casa sem se preocupar com a perda da renda ativa não é regalia para qualquer um.

Confesso que em toda a minha vida só presenciei a cena acima uma única vez. Fiquei boquiaberto e com uma pontinha de inveja. Um dia, quem sabe, terei o cacife suficiente para fazer isto.

Mas quando saberemos que atingimos a liberdade financeira?

Quando a renda gerada pelos ativos for capaz de proporcionar:
  • A manutenção da qualidade de vida almejada por vários anos.
  • Sobra de um montante que será reinvestido, ou seja, oportunidade de aportes periódicos.

Perceba que a bola de neve não poderá parar de crescer, ou seja, sempre deverão ocorrer aportes, talvez com menor intensidade, mas sempre teremos que nos beneficiar dos juros compostos para que o patrimônio gerador de renda passiva não se definhe.

Um grande entrave para se iniciar de cabeça a caminhada rumo à riqueza financeira é a falta de afinidade com a profissão. Muitas pessoas exercem atividades que não gostam oum se decepcionam com as oportunidades oferecidas.

É uma pena!

Esta é uma triste constatação, como bem pode ser verificada no artigo “Por que eu estou buscando a Independência Financeira?”, publicado no blog do Cowboy Investidor.

Sabemos que alcançar a independência financeira apenas com renda ativa é impossível. Ninguém é capaz de trabalhar para sempre, seja devido à idade ou incapacidade. Iniciar cedo os investimentos mirando a renda passiva para uma aposentadoria antecipada é o melhor dos mundos.

Porém , muitos que iniciam a jornada não têm uma preparação prévia, e, portanto, irão encontrar muitas pedras no caminho que poderiam não existir:
  • Incapacidade de aportes 
  • Dívidas 
  • Poucas opções de investimentos mais rentáveis 
  • Ansiedade 
  • Desânimo 
A caminhada é longa, nada melhor que preparar-se para ela.

Preparar como?
  1. Atualizar periodicamente o orçamento doméstico.
  2. Construir um colchão de segurança em aplicações líquidas. Sugere-se aumenos um montante entre 6 a 12 salários atuais. 
  3. Iniciar uma mudança de hábitos financeiros e para isto existem diversos artigos a respeito de finanças pessoais que poderão te auxiliar.
  4. Inicie por investimentos básicos e que você entenda e continue a estudar outras maneiras de investir.
  5. Não se desafie. Se conheça o mais profundamente possível para que as noites de sono sejam maravilhosas e não imersas em pesadelos financeiras.
  6. Se a jornada for juntamente com a família o planejamento deve ser compartilhado, assim serão minimizadas as cobranças e você não será taxado de pão duro.
  7. Esqueça o status, a vida é sua e o futuro é seu. Tenha uma vida simples.
Várias outras pedras poderiam ser evitadas diante de uma boa preparação antes e até mesmo durante a jornada em direção a uma vida financeiramente tranquila.

Montar uma carteira de investimento não é tarefa fácil, exige alguns conhecimentos prévios. Um passo a passo bem simples aplicado a um caso real foi demonstrado no artigo “O nascimento de uma carteira de investimento”, publicado no blog Viagem Lenta.

De maneira clara o autor expôs pontos cruciais para se montar a carteira de investimentos para a própria filha e como bônus, para nós leitores, explicitou alguns valiosos conselhos que são dados apenas de um pai para a filha (ou filho).



Renda passiva e renda ativa: vantagens e desvantagens

Por serem formas diferentes de obtenção de renda, ambas têm vantagens e desvantagens.

Renda ativa:
  • Maior segurança financeira. 
  • Menor possibilidade de obter rendimentos maiores; 
  • Falta de tempo para realizar outras atividades. 

Renda passiva:
  • Menor exigência quanto à quantidade de trabalho necessária para gerar renda; 
  • Maior tempo disponível para outras atividades; 
  • Possibilidade de ganhos contínuos sem a necessidade de refazer o trabalho. 
  • Menor segurança inicial de renda. 
Para quem procura a liberdade financeira, terá que conviver com as duas formas por um bom tempo:
  • Aproveitar a segurança que a renda ativa proporciona e construir patrimônio que gere renda passiva. 
  • Ampliar a renda passiva ao ponto que esta financie por um bom tempo uma vida com qualidade. 
No artigo “Como comprar para si cada hora de trabalho que você vende?”, o autor do blog Aposente aos 40 deixa bem claro o seguinte recado: 

Sua meta é conseguir renda passiva para "comprar" de volta para si cada hora de trabalho que hoje você vende por necessidade.

E ponto final.



Considerações finais

Durante a caminhada rumo à independência financeira, a renda passiva e renda ativa andam lado a lado e ambas têm indiscutivelmente a sua importância.

Temos que ser capazes de "criar" algumas fontes de renda passiva para não ficarmos presos a apenas uma única fonte, portanto, aqui também vale a máxima: diversificar para minimizar riscos.

É fundamental que ao longo dos anos a renda ativa seja superada pela renda passiva e que esta seja capaz de manter o padrão de vida que consideremos adequado.

Em hipótese alguma poderemos ser medíocres em nossas ações, tanto nos investimentos quanto na vida corporativa. Isto implica em estudos contínuos,  buscar funções mais altas no trabalho...

Teremos que ser "O Cara", ou permaneceremos na multidão de empregados que sonham em ser ricos. Apenas sonham.

Como eu disse mais acima, a caminhada rumo a liberdade financeira e a obtenção de uma vida equilibrada tanto socialmente quanto emocionalmente não é difícil, mas não é impossível.

Mas não nos deixemos abater, levante a cabeça, vamos um empurrando o outro compartilhando experiências que chegaremos lá.


Amigo leitor, eu fico grato se puder deixar um comentário abaixo manifestando sua opinião sobre o assunto.

Se possível, compartilhe este artigo em suas redes sociais para que mais pessoas possam ter acesso a um espaço livre para expor suas opiniões a respeito da caminhada rumo à liberdade financeira e vida equilibrada.

16 comentários:

  1. Post muito completo sobre renda.

    Acredito que ambas são muito importantes. Mas se, passado alguns anos, a renda passiva for gigante, ai voce vai ficar tranquilo, sem precisar de renda ativa.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, DIL

      Você está corretíssimo.

      Deveremos determinar o "tamanho" da renda passiva para se ter uma vida financeira tranquila. Este montante poderá variar em diversos momentos de nossa vida devido aos gastos com filhos, lazer , saúde, educação, etc.. Além disto parte desta renda deverá ser reinvestida, isto garantirá o beneficio contínuo dos juros compostos. Com certeza, quando se atinge esse estágio financeira, a renda ativa passará a ser apenas uma fonte de aportes ou até mesmo poderá ser ignorada. Uma bela opção de escolha, não é mesmo?

      Abraço e sucesso nos investimentos.

      Excluir
  2. Olá G65,

    Parabéns pelo post. Hoje tenho renda ativa (trabalho) e renda passiva dos investimentos. Daqui uns anos vou ter renda passiva para cobrir todos os meus gastos para não depender de salário.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,Cowboy.

      A caminhada em direção à uma vida financeiramente tranquila não é fácil, mas não devemos nos deixar abater por isto. Se errarmos menos em nossas escolhas, medirmos os riscos dos nossos investimentos e acumular patrimônio gerador de renda passiva, teremos chances. Lembrando que tempo, volume e periodicidade dos aportes são fundamentais.

      Que tal aos 40 anos você estar observando o rebanho e negociando a safra de café no mercado futuro? Ou simplesmente curtindo a vida do interior jogando uma boa prosa fora?

      Seja como for, pinte o seu quadro futuro e faça o máximo hoje para que a obra prima se concretize.

      Abraço.

      Excluir
  3. Geração 65,

    Excelente post sobre o tema, muito completo.

    Renda ativa e passiva se complementam, é muito importante que isso esteja em mente desde muito cedo.

    Gostei do que falou sobre "ganhar mais do que se gasta". Pensar dessa forma pode levar a pessoa a refletir se não está consumindo demais ou por impulso.

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      "Ganhar mais do que se gasta." Esta expressão soa de maneira positiva em nosso cérebro, assim nos deixa mais propensos a executar alguma ação.

      "Gastar menos do que se ganha." Isto nos remete a ação mais obvia: cortar algo que provavelmente nos dá prazer. Isto é sinônimo de dor.

      Eita mente humana - quantas vezes temos que encontrar formas diferentes de pensar que nos induzam a fazer as ações mais óbvias e corretas.

      Abraço.

      Excluir
  4. Excelente artigo.

    A chave para a liberdade/independência/tranquilidade financeira é gerar renda passiva, não tem o que discutir.

    No mundo das finanças pensamos muito em gerar renda passiva por meio de investimentos no mercado financeiro, mas essa é apenas uma das formas de renda passiva. Eu busco sempre abrir a cabeça e me esforçar para buscar outros tipos de renda passiva.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá , senhor ministro.

      Simples e direto, "papo reto": Renda passiva é a chave para a liberdade financeira.

      A maneira mais rápida e fácil de criar fontes de renda passiva é investindo no mercado financeiro. Mas existem outras diversas maneiras, como citadas no texto.

      Abrir a mente e encontrar maneiras de gerar renda passiva é um excelente exercício. Por exemplo, que tal abrir um site e expor fotos de paisagens, humor, situações pitorescas e etc. Para venda online? As fotos poderão ser tiradas com o celular pessoal.

      O importante é termos diversas fontes de renda passivas, assim teremos os riscos diluídos.

      Abraço e sucesso nos investimentos

      Excluir
  5. Olá G65.

    Hoje eu tenho um trabalho extra. Dê inicio pensava em investir essa grana, mas no fim ela virou lazer rs. Entretanto, o salário teve um breve alivio e assim posso aportar um pouquinho mais.

    Hoje tenho em mente que todos deveriam ter 2 ou mais fontes de renda, que no inicio da caminhada dificilmente não será a renda ativa. Mas, se bem empregado o dinheiro extra, lá na frente a pessoa pode usufruir da nossa tão almejada renda passiva.

    Abraço e obrigado pela citação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Inglês.

      No início da caminhada rumo à independência financeira são muito importantes o volume e a periodicidade dos aportes. Por isto ter outras fontes de renda ativa é importante.

      Após alguns anos reinvestido os juros obtidos dos investimentos seu patrimônio ganhará musculatura e passará a gerar uma boa renda passiva.

      Pouco se enfatiza, mas a renda ativa é crucial no início da jornada em qualquer renda extra é muito bem vinda. 👍

      Abraço.

      Excluir
  6. Excelente texto, G65! Completo, esclarecedor e inspirador! Vc tem talento para escritor, hein? quem sabe um livro no futuro?

    De fato, a vida é feita de escolhas. Ou você luta para ficar do lado daqueles que possuem uma renda passiva, ou ficará escravo para sempre da renda ativa.

    Obrigado pela referência!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,André.

      Gosto de escrever, este é um dos motivos de ter um blog. No fundo é um saudável hobby.😊

      As escolhas que fazemos no presente determinarão nosso futuro.

      Tenho pena das pessoas que são guiadas por decisões de terceiros ou atreladas profundamente em alguma crença. Elas não têm capacidade de decidirem o seus destinos.

      Abraço.

      Excluir
  7. Olá. Belo Post, parabéns. Em breve irei começar a escrever sobre esse assunto, somente como hobby mesmo para acompanhar a minha caminhada rumo a IF. No meu caso, terei sérios problemas pois iniciarei a partir de valores negativos, pois acumulei diversas dívidas por conta de uma empresa que faliu. Contarei isso também no blog, e pretendo relatar o passo a passo para sair dessa delicada situação para outra bem mais tranquila. Enfim, essa falência pelo menos serviu para um estalo de como andava errado na minha vida financeira e isso precisa ser revertido, com disciplina, paciência e foco. Obrigado pelos textos e vamos nessa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anônimo 10:33.

      Que bom que tenha gostado do post.Ter um blog como hobby é ótimo, ainda mais quando se compartilha experiências boas ou ruins, pois, muitas opiniões e idéias poderão surgir.
      Quando o blog estiver no ar me avise.

      Abraço e vamos em frente.

      Excluir
  8. Já estamos em Outubro. Não teremos novos Posts? Vc escreve muito bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, KSPOV.

      Teremos sim. Apenas me afastei um pouco devido a um projeto que está me consumindo muito.

      Obrigado pelas palavras e vamos aguardar mais um pouquinho. 😊

      Excluir

Fica a critério do administrador do blog GERAÇÃO 65 excluir comentários considerados ofensivos ou que contenham palavras de baixo calão.