Trabalhar duro nunca te fará rico: você precisa saber o porquê

Discussões intermináveis, reuniões prolongadas, múltiplas decisões, viagens, interrupções a todo o momento... Às vezes você tem a sensação de que o dia será muito curto para tantas tarefas? Trabalha tanto e ainda não ficou rico? Por quê?


Trabalhar duro não te fará rico

Figura 01 - Trabalhar duro por algo que não acredita, chama-se estresse. Determinação é trabalhar duro por algo que se acredita.


Introdução

Não nasci em berço de ouro e por isto segui piamente o conselho dado pelos meus pais. É um conselho tão comum que é citado no livro best seller Pai Rico, Pai Pobre de Robert Kiyosaki: 

Filho, quero que você estude muito e que tenha boas notas para que você possa conseguir um bom emprego em uma grande empresa e que esta lhe traga grandes benefícios. 

Não considero essa citação um péssimo conselho, como muitos insistem em pregar pelos quatro cantos do mundo, trata-se apenas de um concelho incompleto. 

Penso que, além do conhecimento adquirido na escola formal, é de fundamental importância a busca por conhecimentos relacionados ao mundo das finanças. Com o passar dos anos será percebido que o conhecimento financeiro aliado à experiência de vida tornará capaz a criação de condições propicias para a idealização de projetos geradores de renda passiva

A obtenção de renda passiva é a chave para se atingir uma vida financeiramente tranquila.

Não importa se uma pessoa resolveu empreender e abriu um negócio próprio ou insiste em continuar na vida de empregado, a liberdade financeira é possível a todos, desde que se trabalhe duro. 

Você acredita verdadeiramente que trabalhar duro vai te fazer rico? 

Depois de anos conversando com um e com outro, lendo alguns livros e tomando tombos na vida, cheguei a uma resposta sincera, curta e grossa.

Mas antes de emiti-la, te convido, caro leitor, a fazermos uma breve reflexão sobre alguns pontos de vistas que serão apresentados nos seguintes tópicos.

  • O que é trabalho. 
  • O segredo por trás das histórias dos empreendedores de sucesso. 
  • Tempo é dinheiro? 
  • Como fazer dinheiro? 
  • Ajudando o patrão a ser rico. 
  • Como ser rico trabalhando como empregado.

Mente aberta! Será muito prazeroso compartilhar desses pontos de vista e ainda obter a sua opinião a respeito.

Sigamos em frente!


O que é trabalho 

A palavra trabalhar deriva do latim tripaliare que significa martirizar com tripalium, termo formado pela junção dos elementos tri, que significa “três”, e palum, que quer dizer “madeira”. Tripalium era um instrumento de madeira utilizado para torturas na Roma antiga.

Trabalhar duro não te fará rico
Figura 2: Tripalium, instrumento de tortura utilizado na Roma antiga.























Os escravos e pobres daquela época, por não terem condições de pagar os impostos, eram submetidos a sofrimento, dor e exaustão física no tripalium. Nesse período, portanto, trabalhar significava sofrer no tripalium. Era suportar a fome, sede, extenuar-se, acabar-se na labuta, enfim, era sofrer as torturas no trabalho. 

Nos dias atuais conhecemos muitas pessoas que veem o trabalho como algo muito penoso. Prova disto é que para elas as noites do último dia de folga são melancólicas, pois no dia seguinte terão que enfrentar novamente a tortura: o trabalho (tripalium). 

Já a partir do século XIV trabalho começou a ter outro significado: "aplicação das forças e faculdades (talentos, habilidades) humanas para alcançar um determinado fim" e complementando, “como resultado dessa atividade tem-se uma recompensa, em geral na forma material”. 

Não levando em consideração a etimologia do termo trabalho, é muito importante aceitarmos o fato de que quem dá o sentido ou o devido significado para o que fazemos somos nós mesmos e isto vai determinar o grau de dedicação que iremos dispor para a execução das atividades. 

Se o trabalho for uma atividade que tem um forte significado para nós, estaremos motivados a exercê-lo, caso contrário o trabalho se tornará apenas um meio de sobrevivência, uma tortura, um castigo. Não podemos nos esquecer de que passamos 1/3 de nossa vida trabalhando, portanto, não devemos fazer do nosso trabalho um sacrifício diário. 

Quando se lê uma biografia de alguém que teve sucesso ao construir sua carreira ou negócio próprio, notam-se alguns capítulos recheados de passagens nas quais a personagem passa por enumeras provações e que, portanto, foi preciso que ela trabalhasse duro para atingir seus objetivos. 

Elas trabalharam duro mesmo? 

Acredita nisso?


O segredo por trás das histórias dos empreendedores de sucesso

As histórias de superação de quem criou um negócio de sucesso do zero desperta em muitas pessoas o desejo de empreender. Esses empreendedores se arriscaram e se dedicaram de corpo e alma na busca de realizarem seus sonhos.


Trabalhar duro não te fará rico

Figura 3: Empreender é pensar e agir de maneira inovadora identificando e criando oportunidades.


Abaixo uma amostra da biografia de algumas personalidades inspiradoras, que, sem sombra de dúvidas, têm suas histórias marcadas por diversos obstáculos que pareciam intransponíveis.

  1. Luiza Trajano (Magazine Luiza) - Luiza começou a trabalhar como balconista na loja dos seus Tios.
  2. Flavio Augusto da Silva (Wise Up) – Fundou uma escola de inglês aos 20 anos, a WiseUp. Para isto, usou vinte mil reais do cheque especial a uma taxa de 12% ao mês e ofereceu um curso de inglês para adultos com duração de 18 meses.
  3. Jan Koum (WhatsApp) - O empreendedor nasceu em um pequeno vilarejo na Ucrânia em 1976, sendo o único filho de uma dona de casa e um mestre de obras. Vivia com ajuda do governo e anos depois fundou o WhatsApp.
  4. J. K. Rowling (Harry Potter) - Joanne Rowling formou se em letras clássicas. Divorciada, desempregada e com uma filha pequena para cuidar, em cafés, escrevia o rascunho de um livro enquanto seu bebê cochilava. Essa obra foi o primeiro livro da série Harry Potter.
  5. Ralph Lauren (Ralph Lauren) - Estilista conhecido pela marca Polo e por ser um ícone da moda. Nasceu em uma família de judeus da classe trabalhadora e usava as roupas que seus irmãos já haviam usado.

Não se deve deixar de citar os empreendedores anônimos, que não estão sob os holofotes da mídia, que começaram do nada e conseguiram montar seu hipermercado, rede de lojas ou pequenas empresas de prestação de serviços. 

Tive a felicidade de conhecer e conviver com uma meia dúzia destas pessoas que ao longo de alguns anos ajudaram a forjar parte da minha maneira de encarar a caminhada rumo à independência financeira. 

Não tenho dúvidas que estes empreendedores, famosas ou não, trabalharam muito para atingirem o patamar que hoje se encontram. Eles trabalharam bastante e de maneira inteligente para montarem os seus negócios. 

Então estas pessoas estão financeiramente tranquilas porque trabalharam duro para desenvolverem seus negócios, correto? Não.

Para entendermos o que é trabalhar duro e trabalhar de maneira inteligente, vamos traçar um paralelo.

  • Trabalhar duro é voltar à época do tripalium da Roma antiga. É como pegar numa enxada e trabalhar até a exaustão, acreditando que este sacrifício irá mudar o rumo da vida para uma direção mais promissora. 
  • Trabalhar de maneira inteligente é estudar maneiras eficazes de movimentar a terra obtendo uma melhor relação custo/benefício. 

Os empreendedores de sucesso planejaram, executaram, acompanharam e reavaliaram suas ações para se atingirem suas metas, que nada mais são que sonhos com data marcada para acontecerem. Com certeza isto não é nada fácil!

Para atingirmos a tranquilidade financeira é importante trabalharmos de maneira inteligente. Devemos estar focados no que é mais importante. Devemos dispensar o tempo que temos disponível em atividades que poderão melhorar a nossa qualidade de vida.


Tempo é dinheiro?

Pouco famosa é a frase do filósofo grego Teofrasto (372-288 A.C): tempo custa muito caro. Porém, com base em algumas leituras da obra deste pensador, Benjamin Franklin (1706-1790) proferiu a famosa frase: tempo é dinheiro (times is Money). 

Mas será que tempo é dinheiro mesmo?


Trabalhar duro não te fará rico
Figura 4: O que tem mais valor, tempo ou dinheiro?


O pesquisador Neil Fiore, especialista em produtividade pessoal, fez uma fantástica citação: 

Existe um mito que tempo é dinheiro. Na realidade, tempo é muito mais precioso que dinheiro. É um recurso não renovável. Uma vez que você o gasta, e se você o usou mal, ele se foi para sempre.

Esta citação traduz muito bem o valor do tempo na vida das pessoas. 

O dinheiro poderá ser mal gasto, perdido, mas sempre haverá como fazer mais. Mas o tempo perdido jamais poderá ser recuperado. Portanto, tempo não é dinheiro, é mais valioso.

Um ótimo exercício mental é imaginar o tempo como moeda de troca e não mais o dinheiro. Vale a pena investir algumas horas para assistir o filme de ficção científica do diretor de cinema, Andrew Niccol (2011) intitulado: O Preço do Amanhã (In Time).

A história se passa em um futuro próximo, onde o envelhecimento passou a ser controlado para se evitar a superpopulação, tornando o tempo a principal moeda de troca para sobreviver e também obter luxos. 

Se o tempo é mais valioso que o dinheiro, é incoerente o fato de como as pessoas conseguem desperdiçar tanto tempo em coisas que não irão trazer qualquer tipo de benefício:

Quem nunca perdeu tempo com alguma atividade abaixo? 

  • Realizar trabalhos que não nos motivam. 
  • Passar horas em redes sociais. 
  • Realizar tarefas sem um propósito definido. 
  • Ficar horas à frente da TV para “passar o tempo”. 

Se as pessoas começarem a medir o tempo como parcelas de suas vidas, irão se preocupar em gastar o tempo com qualidade. Não irão desperdiçar um minuto do seu precioso e finito tempo em algo que verdadeiramente não trará valor para suas vidas. 

Se estamos buscando uma vida financeiramente mais promissora no futuro, nada mais óbvio que mantermos o foco neste propósito, assim, iremos dispensar tempo nos informando e procurando maneiras de fazer dinheiro e obter renda passiva.


Como fazer dinheiro? 

Como foi visto, o tempo é um recurso não renovável e o dinheiro pode ser conseguido basicamente de duas maneiras:

  • Trocar seu tempo por dinheiro. 
  • Colocar o dinheiro para trabalhar para você.


Trabalhar duro não te fará rico

Figura 5: Trocar o tempo por dinheiro.

Na primeira maneira a pessoa executa atividades em alguma empresa ou instituição em troca de uma remuneração.

Na segundo maneira a pessoa investe com objetivo de multiplicar o capital e adquirir patrimônio que gerem renda.

Algumas pessoas estão fazendo dinheiro das duas maneiras, elas possuem um emprego e reservam uma parcela da remuneração para investir e receber juros. 

Mas desde quando empregado fica rico? 


Ajudando o patrão a ser rico

Minha rotina de trabalho é bem rígida. Literalmente pulo da cama às seis horas em ponto, faça sol ou faça chuva; pego o ônibus as sete e inicio minhas atividades trinta minutos depois. 


Trabalhar duro não te fará rico

Figura 6: As equipes de trabalho ajudam a elevar a riqueza do patrão.


O tempo dedicado ao trabalho pertence a empresa, portanto, é o patrão quem determina o que será feito nesse período

É uma pena que boa parte das pessoas passa quase uma vida inteira recebendo uma remuneração que muitas vezes se perde ao longo do mês por falta de uma mínima gestão de suas finanças. 

Ao final do ciclo profissional, elas não têm condições de sobreviverem por conta própria e ficam na dependência do governo e de parentes para garantirem as próprias subsistências. A maioria não descobriu outra forma de fazer dinheiro que não somente vendendo o tempo. 

Vale citar que muitos empresários de destaques ou investidores de sucesso já foram excelentes funcionários em alguma empresa. Eles criaram, ao longo de suas vidas profissionais, condições para poderem decidir o rumo que gostariam de tomar para continuarem na busca de realizarem seus sonhos: empreender, investir ou continuar como empregados.

Não há o caminho certo ou errado, há o caminho que mais se adequa ao nosso perfil, portanto, podemos nos tornar financeiramente tranquilos e até ricos trabalhando como empregado, sem precisarmos abrir um negócio próprio. 


Como ser rico sendo empregado

“Você nunca vai ficar rico trabalhando para outra pessoa.” Quantas vezes se ouvem estas palavras? 

Muitas pessoas não se sentem confortáveis em deixar a segurança de uma posição assalariada e partir para abrir um negócio próprio e com boas razões.

Segundo uma pesquisa feita pela Endeavor, em 2013, quem pensa em se tornar um empreendedor em tempo integral, terá que obter renda média de pelo menos 35% superior à renda proporcionada pelo emprego atual para que o seu padrão de vida seja mantido. 


Trabalhar duro não te fará rico

Figura 7: O executivo é o profissional responsável por funções gerenciais importantes em uma empresa e possui conhecimentos profundos da área em que atua.


Em várias empresas existem executivos de alto nível com elevados salários, opções de ações e bônus que os tornam milionários ano após ano. Porém, a grande maioria é simplesmente empregada e, será que devido a isto, não terão chances de se enriquecer?

O senso comum diz que basta a pessoa poupar de forma agressiva, trabalhar muito e investir de maneira inteligente para se elevarem as chances de uma vida financeira confortável bater à sua porta. A receita é muito simples, mas a execução do óbvio exige muito esforço e dedicação. 

Quem quiser ter uma vida financeiramente tranquila, sem abrir mão da segurança de trabalhar para outra pessoa, tem que desenvolver e tomar certas atitudes, como as listadas a seguir: 

  • Desenvolver a capacidade de liderança. 
  • Manter um padrão de vida abaixo da sua remuneração. 
  • Investir na profissão, ser um expert. 
  • Investir em estudos sobre finanças. 
  • Investir, com sabedoria, uma parcela da remuneração. 
  • Desenvolver um nicho dentro de empresa. 
  • Construir fortes relacionamentos com tomadores de decisão. 
  • Assumir responsabilidade adicional. 
  • Desenvolver a paciência e persistência. 
  • Elogiar os outros, quando pertinente. 

Pode ser notado que para se desenvolver em uma organização é necessário resiliência, competência, networking e uma ajudinha do universo para que este conspire a seu favor. 

Enfim, temos que ser muito competentes para que os bons empregos corram atrás de nós e consequentemente as melhores remunerações nos sejam oferecidas. 

O que isto significa? 

Maiores aportes na nossa carteira de investimento.

Devemos fazer planos para que ao longo dos anos, nossa receita advenha menos da nossa força de trabalho e provenha mais do patrimônio adquirido. A consequência disto será um melhor aproveitamento do nosso tempo, seja para fazer alguma atividade que temos prazer, cuidar da saúde, curtir a família, etc.


Nunca se esqueça

Alguns pontos merecem nossa atenção: 

  • Não fazer do nosso trabalho um sacrifício diário. 
  • Trabalhar duro é voltar à época do tripalium da Roma antiga. 
  • Trabalhar de maneira inteligente é estudar maneiras eficazes para se atingir uma meta. 
  • Para se atingir tranquilidade financeira é importante trabalharmos de maneira inteligente. 
  • Tempo é mais valioso que o dinheiro. 
  • Não desperdice o tempo, o tempo perdido não volta atrás. 
  • Há duas maneiras de fazer dinheiro: troando o tempo pelo dinheiro ou investindo. 
  • Se há a necessidade de vender o tempo para fazer dinheiro, que seja pelo maior valor possível. 
  • Reserve parte do dinheiro obtido do trabalho para adquirir patrimônio que gere renda passiva. 
  • Ao longo dos anos, faça com que a receita advenha menos da força de trabalho e provenha mais do patrimônio adquirido. 


Conclusão

Gostemos ou não, devemos trabalhar, pois temos contas para pagar. Mas sabemos que a vida não é feita apenas de boletos, há momentos prazerosos que devem ser deliciosamente degustados. 


Trabalhar duro não te fará rico

Figura 8: Comemorar uma vida plena e bem vivida.


A busca pela segurança financeira é algo legítimo, mas não nos esqueçamos de que nada valerá a pena se não mantivermos o equilíbrio. Portanto, devemos dar muita atenção à família, à saúde, cultivar boas amizades e ajudar o próximo.

A caminhada em direção à liberdade financeira não é fácil. Passaremos por frustrações, sede por sabedoria, questionamentos, solidão e iremos descobrir que nosso maior inimigo ao longo da jornada somos nós mesmos. Somos mestres em sabotar nossos próprios planos.

Ao longo da jornada passaremos por um profundo processo de transformação interna – autoconhecimento. Estaremos nos tornando pessoas mais fortes e melhores e isto é um valioso bônus.

Agora sim, acredito que estamos bem embasados para responder a pergunta principal do artigo: trabalhar duro vai nos deixar ricos? Não.

Trabalhar-duro definitivamente não nos deixará rico, mas trabalhar de maneira inteligente, com certeza, nos colocará no caminho rumo a uma vida financeira melhor.

Eu adoraria saber a sua opinião sobre esse artigo.

Deixe um comentário logo abaixo sobre o que você mais gostou nesse artigo, ou sobre algo extra que você deseja compartilhar conosco ou até mesmo alguma crítica sobre esse texto.


Carteira G65 Imóveis 2018–Rendimento acumulado até fevereiro (0,37%)


Carteira G65 Imóveis 2018



1 – PERFIL DA CARTEIRA G65 IMÓVEIS


A carteira G65 Imóveis teve início em maio de 2007 e seu objetivo é a obtenção de renda através da locação dos imóveis. Fazem parte da carteira uma casa e sete apartamentos. Estes imóveis são voltados para a classe média.




2 – CONSIDERAÇÕES INICIAIS


Neste ano foram acrescentados mais dois imóveis à carteira. O apartamento MO506 que ainda está na fase de construção e o apartamento JJ2504 que tinha como objetivo original servir como ponto de apoio. No post "Novidades: mais dois imóveis na carteira G65" tem-se mais detalhes à respeito destes dois imóveis.




3 - PESO DOS IMÓVEIS NO VALOR DA CARTEIRA


Para determinação do peso de cada imóvel no valor da carteira foi considerada a razão entre o valor desembolsado para a aquisição da unidade atualizado anualmente pelo índice de inflação (IPCA) e o valor total da carteira.
Geração 65: Peso dos imóveis no valor da carteira - 2018















4 - PRINCIPAIS INDICADORES


Taxa de vacância acumulada


A taxa de vacância é a relação entre o número de imóveis desocupados e o número de imóveis que compõem a carteira. Neste ano, até fevereiro, a taxa de vacância foi de 2,82%, valor abaixo do limite máximo aceitável de 5,00%.

Geração 65: Taxa de vacância acumulada - 2018



Índice de inadimplência acumulada


Geração 65: Índice de inadimplência acumulada - 2018O índice de inadimplência acumulada é a razão entre o saldo devedor acumulado no período e a receita prevista neste mesmo período. Neste ano, a inadimplência acumulada foi de 1,2%.












5 - DESEMPENHO FINANCEIRO


Receitas bruta acumulada


   A receita bruta acumulada foi de R$ 8.350.

Geração 65: Receita bruta acumulada - 2018



Receita bruta acumulada por metro quadrado


A receita bruta por metro quadrado é dada pela razão entre a receita bruta e o somatório das áreas dos imóveis que compõem a carteira. A receita bruta por metro quadrado acumulada até fevereiro foi de R$ 11,84/m2.

Geração 65: Receita bruta por metro quadrado - 2018



Aluguel acumulado por metro quadrado


O valor do aluguel por metro quadrado é dada pela razão entre a receita bruta mensal e o somatório das áreas dos imóveis que compõem a carteira. O valor do aluguel por metro quadrado ficou em R$ 0,99/m2.

image



Despesas acumuladas


As despesas acumuladas até o momento corresponde a 18,46% da receita bruta. As despesas estão descriminadas na tabela abaixo, "Demonstração dos resultados do exercício".

image



Lucro líquido acumulado


O lucro líquido acumulado até fevereiro de 2018 é de R$ 6.808.

Geração 65: Lucro líquido acumulado - 2018



Margem líquida acumulada


A margem líquida acumulada é dada pela razão entre o lucro líquido acumulado e a receita bruta acumulada. Até o momento, a margem líquida acumulada é de 81,54%.

Geração 65: Margem líquida acumulada - 2018



Rentabilidade líquida acumulada (Rental Yeld)


Geração 65: Rentabilidade líquida acumulada - 2018A renda anual com com a locação é determinada através da razão entre os aluguéis recebidos no ano e o preço de compra ou valor atual do imóvel. Neste informativo, utiliza-se o preço de compra dos imóveis atualizados pelo IPCA, portanto, a rentabilidade anual é determinada sobre o montante investido e não o valor de mercado dos imóveis.














O retorno do capital investido (RCI) está em 0,37%

Geração 65: Retorno do capital investido - 2018





6 - DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO



Geração 65: Demonstração do resultado do exercício - 2018




7 - CONTRATOS


Revisões e novos contratos


A cada 12 meses, os valores de locação são reajustados com base no IGP-M acumulado no período porém, sempre que possível, se busca por aumentos reais (leasing spread) dos valores de locação dos imóveis, ou seja, procura-se alcançar reajustes acima do índice oficial que mede a inflação (IPCA).




Novidade: mais 2 imóveis na carteira G65

Decidimos, eu e minha esposa, incluir mais dois imóveis à carteira G65, são eles: O apartamento MO506 que será entregue pela construtora neste ano e o apartamento JJ2504, que foi adquirido na planta a cinco anos. Desses dois, achamos que o primeiro vai dar muita dor de cabeça.

Novidades na carteira de imóveis G65
Mais dois imóveis à carteira G65 - mais renda passiva.



A dor de cabeça

Já faz um ano que tivemos a oportunidade de ver o estado de conservação dos imóveis que fazem parte da carteira, inclusive visitamos o canteiro de obras do apartamento MO506. Este imóvel foi adquirido visando a obtenção de renda com a sua locação. Este ano estivemos novamente na obra e que decepção! Não vimos muita gente trabalhando como anteriormente, porém, o engenheiro  responsável pela construção nos afirmou que tudo estava correndo de acordo com o cronograma. Apesar da observação dada, continuamos com a pulga atrás da orelha porque afinal, como as unidades serão entregues ainda este ano se a fase de acabamento ainda não começou? São 120 unidades! O desembolso por parte dos condôminos foi finalizado no ano passado, então,  será que a construtora está com um montante em caixa suficiente para concluir a obra ou teremos que arcar com taxas extras?

O layout do apartamento foi modificado
Consideramos muito importante a mudança do layout do imóvel para explorar um mercado que está em ascensão na cidade.



Como sabem, mudamos o layout do apartamento para torná-lo  muito mais agradável e adequado para um casal com um filho ou para acomodar até dois estudantes universitários. As mudanças estruturais já foram concluídas: paredes reposicionadas e algumas eliminadas, um closet construído, acrescidos mais pontos de luz e outras pequenas modificações efetuadas o que proporcionou  uma enorme diferença ao conforto, organização e ampliação dos cômodos. Está pendente a troca dos materiais de acabamento como cerâmica, granito e metais. Serão materiais com melhor qualidade, durabilidade e praticidade para limpeza e claro, contribuirão com a beleza dos ambientes. Em nossa opinião o projeto ficou excelente e tais mudanças estão se mostrando muito adequadas.

Sabemos que 95% dos condôminos são investidores e neste grupo há aqueles que já iniciaram a venda de suas unidades e outros que pretendem alugá-las. Espero que grande parte das unidades seja vendida porque assim, futuramente, a concorrência pela locação será minimizada. Mas caso muitos optem por obter a renda de aluguel, estamos preparando a nossa unidade para um público alvo diferenciado que, pelo que se percebe, tende a continuar crescendo e estão se tornando mais exigentes.

Como visto, este apartamento já começou a apresentar gastos que deverão ser debitados da renda obtida com a locação dos outros imóveis, por isto a importância óbvia de já incluí-lo na carteira de imóveis.


Estamos alugando um paraíso

Este apartamento foi comprado para servir como ponto de apoio à família, pois, a capital oferece ótimos recursos em relação a lazer, educação e saúde. Mas, finalmente decidimos que este imóvel deverá ser disponibilizado para locação e passaremos a pagar diárias de hotel, caso seja necessário permanecermos por alguns dias na cidade. Esta foi uma ótima decisão, pois não teremos que arcar com a taxa do condomínio e IPTU de um imóvel que nós pouco utilizamos.

Um bosque privativo
O "bosque privativo" é um diferencial importante numa região onde todos os empreendimentos são semelhantes.



Este imóvel é um ótimo apartamento, localizado em uma área privilegiada. Ele é  próximo a uma das principais avenidas da cidade o que facilita o deslocamento para qualquer ponto, seja de ônibus, taxis ou carro próprio. Há outros vários prédios próximos, mas nenhum apresenta uma cereja no bolo como este: um bosque privativo. O condomínio não conta com quadras, piscina ou playground. Há apenas uma brinquedoteca para os pequeninos e o restante da área comum é uma imensa área verde com árvores enormes e antigas. Há muitas fruteiras como jabuticabeiras, ameixeiras, abacateiros, um antiquíssimo pé de jambo e outras várias espécies. Como se não bastasse, existe uma bela nascente cuidadosamente preservada que dá origem a um pequeno córrego que corre aberto por entre o “bosque” e, ao sair da propriedade do condomínio, continua seu curso através de canais fechados. É um local muitíssimo agradável. Nada melhor que curtir um momento de “ociosidade criativa” enquanto os meninos ficam escalando árvores, retirando os frutos maduros dos pés ou simplesmente correndo e inventando brincadeiras. Quando algum morador quer curtir uma piscina ou esporte em equipe, vai aos clubes que têm próximos do bairro, mas quando deseja passar momentos longe da agitação da cidade, ele pode reunir-se com a familia e amigos e planejar um belo piquenique ou churrasco ao ar livre, no “quintal de casa”.

Penso que será muito fácil alugar este imóvel por possuir este e outros importantes atrativos que devem ser considerados por quem procura um imóvel para alugar.


Nem tudo são flores

Com a inclusão destes dois apartamentos, a carteira de imóveis ficou mais robusta, mas isto não significa que a renda irá se elevar substancialmente. Existem alguns riscos ao investir em imóveis para locação que devem ser bem conhecidos e gerenciados como os gastos com manutenções, vacâncias e etc..

A partir de agora todos os imóveis que possuímos estão apresentados na carteira. O imóvel que atualmente estamos morando é alugado, aliás, diga-se de passagem, nunca moramos em um imóvel próprio. Até o momento isto nos tem conferido algumas comodidades e liberdade, pois não pretendemos fixar raízes na atual cidade, apesar desta ser muito agradável.

Uso do Whatsapp como principal canal de comunicação
Uma imobiliária onde o sócio/proprietário é o responsável direto pela captação de clientes e gestão do contrato pode ser um bom parceiro.



O grande desafio, a partir de agora, será acompanharmos os serviços de duas imobiliárias para administrar os contratos de locação. A imobiliária que já administra a maioria dos imóveis da carteira é referência na cidade e atua em outros ramos do mercado imobiliário como venda de imóveis de grandes construtoras e participação na construção de novos empreendimentos. A imobiliária que irá administrar os contratos de locação do imóvel JJ2504 atua apenas no nicho de locação e venda de imóveis. Acredito que mantendo o foco em apenas um nicho a imobiliária se torna mais ágil na captação de clientes e a administração do contrato de locação fica mais eficiente.

Após consultar várias empresas, o ponto chave que nos levou realmente a criar um vínculo com a imobiliária foi o fato do proprietário do negócio ser o responsável direto pela captação e gestão dos contratos de locação. Apesar dos apetrechos necessários para tocar o negócio como fax, telefones, computadores e etc. ele gosta mesmo é de utilizar o Whatsapp como canal primário de comunicação. Pode parecer uma grande bobagem, mas o fato dele usar o aplicativo nos negócios torna a troca de informações muito mais ágil e cômoda, principalmente para nós que moramos numa pequena cidade a centenas de quilômetros da capital.

Estamos crentes que não teremos surpresas desagradáveis com a locação do imóvel JJ2504, mas o mesmo não podemos dizer  com relação ao apartamento  MO506, dá-nos até arrepios! Enfim, temos muito o que fazer até o momento da locação desta unidade, portanto, resta-nos acompanhar as histórias que estão por vir.


Carteira G65 Imóveis 2017–Rendimento acumulado do ano (6,63%)






1 – PERFIL DA CARTEIRA G65 IMÓVEIS

A carteira G65 Imóveis teve início em maio de 2007 e seu objetivo é a obtenção de renda através da locação dos imóveis. Fazem parte da carteira uma casa e cinco apartamentos. Estes imóveis são voltados para a classe média e estão situados em áreas nobres de uma cidade com 320.000 habitantes, que vem apresentando um notório crescimento econômico e populacional desde 2000, além de um excelente desenvolvimento da infraestrutura.




2 – CONSIDERAÇÕES INICIAIS

O mercado de locação de imóveis na cidade onde estão localizados os imóveis da carteira ainda sofre fortemente as consequências da crise econômica. Durante as negociações de renovações dos contratos de locação é muito comum a manutenção ou a redução da taxa de aluguel. Os poucos proprietários que ainda não estão propiciando um ambiente aberto à flexibilização dos reajustes dos aluguéis estão com as suas unidades vagas e estão arcando com os custos do condomínio e IPTU. Nos dias atuais, claramente se percebe que o mercado está favorável para quem procura por locação uma vez que há uma elevada oferta de unidades. Diante destes fatos, não vale a pena a manutenção da unidade SN3001 na carteira, uma vez que esta historicamente é a unidade que apresenta maior rotatividade e menor retorno sobre o investimento. Além disto, não está sendo conveniente manter dois imóveis em um mesmo condomínio, uma vez que percebe-se que a razão taxa de aluguel/taxa de condomínio está com uma tendência de redução.
Diante dos fatos descritos acima, decidiu-se colocar à venda o imóvel SN3001, mesmo este estando ainda alugado. Como o mercado está com pouca liquidez, pouca demanda por crédito imobiliário e elevado grau de incerteza quanto ao rumo da economia do país, não acredito que este imóvel será facilmente vendido, portanto, as minhas espectativas é que alguma venda se concretize pelo prazo de dois anos.
Mesmo com o anúncio de venda, enquanto não se concluir o negócio, este imóvel permanecerá na carteira e serão contabilizadas as suas despesas de manutenção, IPTU, taxa de condomínio e outros gastos pertinentes à venda. Após a disponibilização do imóvel pelos atuais inquilinos, este não será considerado para determinação da taxa de vacância e índices que consideram a área disponível.
O ano de 2017 não foi um bom ano em termos de resultados, como já previsto. Como poderá ser visto abaixo, a receita bruta e lucro líquido foram menores em comparação ao ano anterior.



3 - PESO DOS IMÓVEIS NO VALOR DA CARTEIRA


Para determinação do peso de cada imóvel no valor da carteira foi considerada a razão entre o valor desembolsado para a aquisição da unidade atualizado anualmente pelo índice de inflação (IPCA) e o valor total da carteira.










4 - PRINCIPAIS INDICADORES


Taxa de vacância 


A taxa de vacância é a relação entre o número de imóveis desocupados e o número de imóveis que compõem a carteira. Neste ano, até novembro, a taxa de vacância foi de 4,79%, valor abaixo do limite máximo aceitável de 5,00%.

image_thumb



Índice de inadimplência acumulada

imageO índice de inadimplência acumulada é a razão entre o saldo devedor acumulado no período e a receita prevista neste mesmo período. Neste ano, a inadimplência acumulada foi de 1,2%.














5 - DESEMPENHO FINANCEIRO


Receita bruta por metro quadrado

A receita bruta por metro quadrado é dada pela razão entre a receita bruta e o somatório das áreas dos imóveis que compõem a carteira. A receita bruta por metro quadrado acumulada em 2017 foi de R$ 135,74, acima da expectativa que foi de R$ 132,60/m2.
image



Aluguel por metro quadrado

O valor do aluguel por metro quadrado é dada pela razão entre a receita bruta mensal e o somatório das áreas dos imóveis que compõem a carteira. O valor do aluguel por metro quadrado ficou em R$ 11,31.

image



Receitas bruta

  A receita bruta acumulada foi de R$ 77.180.

image



Despesas

As despesas acumuladas em 2017 foi de R$ 13.770. Os maiores gastos foram com o pagamento da taxa de administração dos imóveis e imposto de renda. Era esperada uma despesa maior este ano, comparado ao ano passado, devido a previsão de pintura de três unidades (outras despesas).

image



Lucro líquido

O lucro líquido em 2017 foi de R$ 56.628.

image



Margem líquida

A margem líquida é dada pela razão entre o lucro líquido e a receita bruta. Neste ano, a margem líquida acumulada foi de 73,37%.

image



Rentabilidade líquida (Rental Yeld)

imageA renda anual com com a locação é determinada através da razão entre os aluguéis recebidos no ano e o preço de compra ou valor atual do imóvel. Neste informativo, utiliza-se o preço de compra dos imóveis atualizados pelo IPCA, portanto, a rentabilidade anual é determinada sobre o montante investido e não o valor de mercado dos imóveis.










O rendimento bruto acumulado neste ano está em 6,63%. Descontados os gastos com imposto de renda, comissão da administradora de imóveis, taxa de condomínio, despesas extras e manutenção que somados correspondem a 1,77% do valor da carteira de imóveis, obteve-se um rendimento liquido acumulado de 4,87% (retorno sobre o capital investido).

image





6 - DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO


image




7 - CONTRATOS


Revisões e novos contratos

A cada 12 meses, os valores de locação são reajustados com base no IGP-M acumulado no período porém, sempre que possível, se busca por aumentos reais (leasing spread) dos valores de locação dos imóveis, ou seja, procura-se alcançar reajustes acima do índice oficial que mede a inflação (IPCA).
 
Porém, devido a crise econômica que o país está atravessando, fui obrigado a manter o valor dos aluguéis de alguns imóveis inalterados. Em outras unidades o reajuste foi abaixo do IGPM acumulado do período e em outras não houve reajuste. Enfim, 2017 também foi um ano em que se predominou a queda ou manutenção do valor da taxa de aluguel.

image


Investir é mesmo muito importante?

Porque investir?

Meu avô não se cansava de repetir: devemos trabalhar duro para conquistar algumas coisas importantes na vida como a casa própria e um montante reservado para as situações de emergências. Que me desculpe meu avô, mas prefiro trabalhar de maneira mais inteligente e menos dura. Cultivar bons momentos com os meus entes queridos e desenvolver meu hobby predileto são coisas que considero muito importante.

Muitas pessoas labutam pesado no trabalho, seja como empregado em uma companhia ou dono do próprio negócio: sacrificam-se em longas horas-extras e se submetem a altas cargas de estresse com objetivo de engordar o orçamento no final do mês. Mas será que estas atitudes valem a pena? Deliciosos momentos junto à família, participar dos eventos escolares dos filhos e partilhar gostosas gargalhadas junto aos amigos são coisas que, para mim, definitivamente não têm preço.

A maneira mais inteligente de termos uma renda extra no futuro sem ter que nos matar para isto ao longo da vida é realizando investimentos. Não tenho dúvidas dos benefícios do fantástico poder dos juros compostos (juros sobre juros) e por isto eu sempre questiono porque nós, brasileiros, não o utilizamos a nosso favor? É um excelente negócio “curtir a vida” e deixar que o nosso dinheiro conquistado com muito suor trabalhe pesado para nos gerar renda no futuro.

Deve ser evidenciado que investir não é um ato exclusivamente destinado aos endinheirados, é puramente um ato em prol da construção de riqueza e qualquer um pode executá-lo. Podemos traçar uma meta e um plano de investimento que melhor nos agrade e pô-lo em prática. Existem vários modalidades de investimentos acessíveis para quem pode aporta apenas uma pequena quantidade periodicamente em seu portfólio, portanto, o montante a ser investido não é empecilho para iniciar esta longa caminhada rumo à independência financeira.

Infelizmente, poucos brasileiros investem regularmente e um estudo realizado pela CDL - Educação Financeira - Hábitos e Motivações do Brasileiro Para Poupar e Investir - sugere que os consumidores que investem o fazem pensando em assegurar sua qualidade de vida no futuro, seja por questões relacionadas à saúde ou aquelas que se referem às condições financeiras pessoais e familiares.

A figura 01 a seguir, apresentado neste estudo, expressa os principais objetivos dos investimentos realizados pelos brasileiros consumidores.


Finalidade dos investimentos (Fonte: Educação Financeira - Hábitos e Motivações do Brasileiro Para Poupar e Investir - Fevereiro de 2016 (CNDL, SPC Brasil e Meu Bolso Feliz)

Figura 1: Finalidade dos investimentos (Fonte: Educação Financeira - Hábitos e Motivações do Brasileiro Para Poupar e Investir - Fevereiro de 2016 (CNDL, SPC Brasil e Meu Bolso Feliz)


Diante dos fatos e dados, confirma-se que a grande maioria dos brasileiros consumidores investe buscando a segurança.

Algumas pessoas ainda não acreditam que o modelo existente de previdência social do Brasil está falido. O rombo do INSS cresce ano após ano. Nossas contribuições estão pagando as aposentadorias dos nossos pais. E quem vai pagar as nossas? Ao planejar a nossa aposentadoria, poderemos garantir estabilidade financeira para esta fase da vida. Eu prefiro não contar com a sorte e “correr atrás” enquanto há tempo.

Enfim, investir é mesmo muito importante? Claro que sim pois, é um meio para se chegar a um final feliz e ponto. Não há o que questionar. Quanto mais cedo começar, melhor, portanto, mãos à obra. Para os desavisados fica o alerta: Investir está se tornando uma necessidade primordial, uma questão de sobrevivência.

Postagem em destaque

Trabalhar duro nunca te fará rico: você precisa saber o porquê

Discussões intermináveis, reuniões prolongadas, múltiplas decisões, viagens, interrupções a todo o momento... Às vezes você tem a sensaçã...

Sugestões para leitura